Crítica - The Bling Ring: A Gangue de Hollywood

20130705-141149.jpgPostado por: Fernando Antônio
Sinopse:
O longa que contará a história real de um grupo de adolescentes que se especializaram em cometer pequenos assaltos em casas de celebridades, como Paris Hilton e Orlando Bloom. Sofia Coppola é responsável pela direção, produção e roteiro. O elenco conta com Emma Watson, Kirsten Dunst, Leslie Mann, Taissa Farmiga, Israel Broussard, Katie Chang e Claire Pfister.

Graças a distribuidora DiamondFilms pude ver o tão comentado filme 'The Bling Ring' que estréia no dia 2 de agosto aqui no Brasil. A história, que como na sinopse diz, fala sobre adolescentes ladrões e é baseada em fatos reais, foi muito bem traduzida para as telas do cinema, mas sofre com problemas de ritmo que transformam seus 90 minutos em 120.

Se você viu o trailer e está esperando para ver Emma Watson como protagonista do filme, esqueça, Nicki não é a protagonista do filme, pelo menos não na sua primeira metade. O protagonista do filme é Marc vivido pelo ator Israel Broussand, que começa a roubar para conseguir se tornar "popular" com a sua amiga cleptomaníaca e personagem muito bem montada pela atriz Katie Chang, Rebbeca. Para completar a gangue ainda temos a apagada Chloe (Claire Julien) e Sam que tem uma das melhores atuações do filme, vivida por Taissa Farmiga.

Como disse, o filme sofre com seu ritmo, ou a falta dele. Após sua abertura (que usa a música Crown on the Ground tocada no trailer) o filme demora para se situar mostrando a vida de Marc como aluno novo e como inciou sua amizade com Rebecca, só se estabelece ao compensar perfeitamente atores e história com início dos roubos, que se tornam relativamente repetitivos. Cenas são repetidas literalmente por todo o filme. O ponto onde começam as reviravoltas na trama é quando os personagens são as únicas coisas que ainda o tornam o filme interessante, Emma Watson inclusive até rouba o final do filme do seu protagonista e se mostra a salvação do que poderia ter sido um ótimo e ao mesmo tempo tedioso filme. Não que o protagonista Marc não seja "bom" o bastante, mas é que personagens como Rebbeca e Nicki que são suas principais concorrentes no "estrelato" simplesmente vivem aquilo, enquanto Marc se torna só um exemplo de "lição de moral" que num filme sobre roubos, que por si só já são algo errado, e baseado numa história real, forçar uma lição de moral pode não ser uma coisa inteligente e que parece ter sido colocado por Coppola só para agradar moralistas.

O filme tem muita coisa boa, além do elenco, temos uma ótima trilha sonora. Bling Ring consegue passar a sensação de que você está assistindo a ação no meio daqueles ladrões, você consegue entender eles e o que levou eles até aquilo, para alguns foram drogas e diversão, outros por terem sido criados glorificando famosos e seu estilo de vida, como a própria Nicki (Watson) e sua irmã adotiva Sam (Farmiga) que em suas primeiras cenas são ensinadas pela mãe (Leslie Mann) de forma inusitada a seguir o exemplo de vida do livro "o segredo" que foi "moda" a alguns anos e glorificando Angelina Jolie. Essa construção mesmo que superficial é o suficiente para passar o que o filme quer, e é bom de se assistir. Como já falei antes, Nicki e suas falas roubam o filme para si, tal como rouba várias roupas da Paris Hilton.

A direção de Sofia Coppola é muito curiosa para um filme com um tema como esse, a transição de uma cena propositalmente tremida de invasão a casa de Orlando Bloom a uma cena fixa, onde a câmera fica mostrando uma casa de fora de um mesmo ponto por minutos enquanto vemos silhuetas correndo pelas janelas é cansativo. O uso da trilha sonora também é muito estranho, a diretora colocou várias músicas "eletrônica-pop" na trilha, mas usa ela em cenas mais paradas, enquanto cenas que pareciam precisar de algo assim ficavam SEM trilha, isso fica bem obvio quando em uma cena na boate é usada um instrumental bastante dramático, não sendo uma escolha óbvia. Essas decisões que ela tomou (e eu não sei dizer se é algo que ela sempre faz já que dela só vi o Maria Antonieta (Dunst inclusive faz uma ponta em The Bling Ring)) não são ruins e da uma identidade para o filme. Um filme que apesar de tudo, consegui gostar.

Redes Sociais

SNAPCHAT

SNAPCHAT

ANÚNCIO