Review: Dexter "Every Silver Lining" (S08E02)

02 - Every Silver Lining.mkv_snapshot_56.08_[2013.07.09_23.58.41]Sinopse: 


Miami Metro continua na sua caçada pelo Neurocirurgião, enquanto Vogel convoca Dexter para fazer o seu trabalho baseado nas experiências pessoais e de pacientes. Debra continua com sua investigação privada e tem que tomar atitudes com suas próprias mãos.


Por Alina Oliveira


Segundo episódio da temporada não foi tão bom quanto o primeiro, mas é compreensível já que foi incrível e precisava manter o cliffhanger pesado que foi o do season finale da sétima temporada. Foi um episódio bom, explorando o arco da Dra. Vogel, que é bastante interessante, mostrou também mais um pouco do que a Debra vem passando e de como o Dexter reage as mudanças que ela sofreu.



O episódio começa com um vídeo da Dra. Vogel em uma consulta com o Harry, falando sobre Dexter. Nos é mostrado então como a Dra. Vogel teve papel importante no que Dexter viria a se tornar. Vemos o Harry preocupado com os comportamentos estranhos de Dexter e o desgosto de ter um filho com claras tendencias psicopatas. Vemos que Dexter já apreciava sangue desde criança, e que já guardava pequenos troféus de suas experiencias. Dexter é o produto das experiencias da Dra. Vogel, ela ajudou Harry a criar o código que controlava o desejo de matar de Dexter. No segundo vídeo vemos como os métodos de Dexter evoluem quando ainda jovem, ele já se interessa em mostrar fotos dos crimes as suas vitimas, e como sempre, o subconsciente de Dexter (personificado como Harry) e o próprio Dexter começam a debater, essa é uma das marcas da série, e que nos fez gostar tanto dela. Dexter e Harry, então, debatem se ele deve ou não confiar na Dra. Vogel.


Vogel dá uma missão a Dexter, achar um outro paciente dela que pode estar matando inocentes, ele pode ser o serial killer da temporada, que corta os cérebros das vitimas. Ela se sente culpada pelas mortes, ou pelo menos menos é isso que ela quer que pensamos, não sei se posso confiar nela (tô na mesma do Dexter HAHA). Achei ótimo a cena em que ele está revistando o apartamento do suspeito e percebe que é bem parecido com seu próprio apartamento, aí da uma olhada para o ar-condicionado.


Aos poucos Dexter vai se ligando mais com Dra. Vogel, lhe confidenciando suas preocupações e traumas de infância.


Debra ainda está atrás das joias roubadas, pelo menos é o que ela parece estar fazendo. Mas ela quer mesmo é a procura de algum objetivo para sua vida. Quando ela finalmente acha as joias, El Sapo aparece e rola uma briga das boas, Debra apanha bastante. El Sapo é descoberto morto pela policia e fica a duvida de quem o matou, Quinn, como Dexter, percebe que Debra tem algo a ver com o assassinato.


Dexter vai atrás de Debra de novo, e a conversa deles é muito boa. A relação deles continua ruim, e ele não consegue deixar de se importar com o que acontece a ela, parece realmente ser amor fraternal e não ficçação de um psicopata. Dexter acha o sangue de Debra no meio das evidencias do crime, e essa conversa deles no final do episódio mostra como ela não consegue manter o controle das emoções, como ela mudou em relação ao que ela acreditava ser certo, e como ela mesmo diz, é culpa de Dexter. Só o fato dela pedir para Dexter se livrar das provas já é prova disso.

A mando da Dra. Vogel, Dexter vai investigar a cabana do paciente que pode ser o serial killer e descobre o corpo dele, logo tem mais alguém por trás dos assassinatos. Ele e Dra. Vogel tem outra conversa sobre a superioridade de psicopatas, o que na minha opinião, é uma teoria um tanto quanto radical da parte dela (essa velha tá escondendo o jogo), mesmo que ela consiga ser bem convincente com sua argumentação, e Dexter parece ser bastante suscetível a essa teoria.


Ao final do episódio Vogel chama Dexter lhe dizendo que acha que tem alguém dentro de sua casa, e claro, ele vai lá investigar. O serial killer deixa um vídeo do paciente dela matando a primeira vitima do episódio, porem sendo forçado a isso, o que só serve para construir o suspense para quem realmente é o serial killer. Terminando o episódio com a doutora manipulando Dexter, falando exatamente as coisas que ele precisa ouvir para se abrir para ela. Ela fala exatamente o contrario do que ele sempre foi ensinado a acreditar, quando ele diz a si mesmo que é um erro, ela lhe diz que ele é perfeito, que é um individuo mais evoluído que o normal. O manipula facilmente.


O episódio teve basicamente esses dois arcos, o da Debra atrás das joias e matando o El Sapo, e o de Dexter fazendo o que dra. Vogel mandou. O aparecimento da Dra. Vogel é um tanto forçado para a série, mas como essa é a temporada final talvez seja um bom jeito de fechar a história, mostrando a infância de Dexter e quais foram os fatores que o tornaram um psicopata tão único. E como sempre, ele sendo manipulado por alguma mulher.


Nota do episódio: 8


Obs. 1 Esse arco do Batista com o Quinn é uma perda de tempo, me entedia inacreditavelmente.


Promo do próximo episódio:






Redes Sociais

SNAPCHAT

SNAPCHAT

ANÚNCIO