Critica: Capitão América 2 - O Soldado Invernal

A segunda fase da Marvel vai indo muito bem, discordo de toda a raiva que é lançada para cima de Homem de Ferro 3, considero ele um filme muito divertido e não fica chato em momento algum; Thor: O Mundo Sombrio é tão divertido quanto, acho a dinâmica entre Thor e Loki algo que vale muito a pena ser explorado.

Com isso, já deixo os leitores sabendo que sou leiga no quesito HQ, então não sou capaz de entender a maioria das referencias que o filme faz ou deixa de fazer. Muito menos vejo a Agents of SHIELD, que pelo que soube está bastante ligada ao filme, e se ligará mais com os próximos lançamentos (acho a série um saco, perdão). 

Sendo assim, digo que adorei esse filme. Fui assistir esperando que ele fosse o pior e não foi, achei bem melhor que o primeiro e tão bom quanto os outros dois dessa fase da Marvel. O filme é dirigido por Anthony e Joe Russo, os dois tem base na TV, tendo episódios de séries como Community e Arrested Development no currículo, Capitão América 2 foi sua estreia no cinema, já roteiro Christopher Markus e Stephen McFeely, os mesmos responsáveis pelo roteiro do primeiro filme, além de outros títulos da Marvel, sendo assim nomes confiáveis para o trabalho.

O enredo do filme foca bastante na SHIELD, além de Steve ainda estar tentando se adaptar a nova vida após o descongelamento e a batalha de Nova York que aconteceu nos Vingadores. A premissa do roteiro é Steve e Natasha ajudando Fury a descobrir quem está infiltrado na agencia e em especial no projeto Insight (acho que essa é a descrição mais sem spoiler que é possível fazer). A história toda é bem amarrada, e a progressão dos acontecimentos ocorre de maneira bem dinâmica, mesmo as cenas mais didáticas, aquelas que explicam mais o plot, não se tornam entediantes (só talvez um pouquinho longas demais).

Os novos personagens são bem interessantes (alguns mais que outros). A Agente Sharon Carter que deve ser o novo interesse romântico de Steve, não teve muita importância nesse filme, mas devemos presumir de que em breve terá mais. Outro que surge é Sam Wilson, o Falcão, que inicia uma amizade com Steve e o acompanha durante boa parte do filme. Temos também o Soldado Invernal que é um dos antagonistas de Steve nesse filme, a identidade dele é um mistério para muitos ainda, foi bem legal ouvir o suspiro de surpresa no cinema quando descobrem quem ele é.

(SPOILER) A aparição de Peggy no filme é bem bonita, a conversa que ela e Steve tem logo no começo do filme é bem tocante, (FIM DO SPOILER) é uma cena que representa bem como Steve ainda se sente preso ao passado e não sabe bem o que fazer agora que tudo que ele conhecia está sumindo. Essa parte é explorada, mas sem ser muito aprofundada, deixando todo o problema com a SHIELD em primeiro plano.

O roteiro é ótimo, com as referencias aos outros filmes e (eu imagino) as HQs. Os plot twists prendem nossa atenção do começo ao fim, além de revermos personagens que já nos apegamos, diferente do primeiro filme esse não vai precisar mais apresentar Steve, ele vai tratar de evoluir o personagem, e faz isso bem, além de ter cenas de ação incríveis, as sequências de luta do filme estão muito bem feitas. E nada melhor que os ganchos com os próximos filmes, no caso Vingadores 2, são duas cenas pós créditos, a primeira fazendo o gancho com Vingadores 2 e a segunda (aquela no final dos créditos infinitos), que é bem obvia, fazendo gancho nenhum com nada em especial, mas é algo até interessante de ver.

Enfim, é um ótimo filme e obrigatório para os fãs da Marvel no cinema, já aos fãs das HQs não faço a menor ideia se agradará, com certeza vale a pena ver nem que seja apenas pelos efeitos especiais. As expectativas para Vingadores 2 não poderiam ser mais altas, uma pena que veremos em 2015, mas até lá temos o Guardiões da Galáxia para encaixar de alguma forma nesse universo da Marvel.

Redes Sociais

SNAPCHAT

SNAPCHAT

ANÚNCIO