Review: Game of Thrones - Mockingbird (S04E07)

Sinopse:
Daario suplica a Dany permissão para executar aquilo que faz de melhor. Os avisos de Jon sobre a vulnerabilidade da Muralha são ignorados. Brienne segue uma nova pista ao lado de Pod. Tyrion recruta um aliado inesperado. Lysa decide dar uma volta.

Nessa semana tivemos um episódio bom, que de certa maneira não enrolou, andou a passos vagaroso com a história mas enrolar não enrolou. Ainda bem. Vão ser três plots principais e pequenas cenas de outros plots nesse episódio, dando a continuidade do episódio passado, e deixando alguns personagens de fora, que eu desconfio que ficaram de fora por mais tempo.

Começamos logo com Tyrion, que teve uma das melhores cenas da série no episódio passado, agora precisa achar um campeão para lutar por ele no julgamento por combate. Esse plot é o principal do episódio, e não tinha porque deixar de ser, é o mais interessante sem duvidas. A primeira opção de Tyron é Jaime, o irmão que sempre foi a seu socorro (quando pode) e blablabla, porem Jaime não é mais o mesmo desde que perdeu a mão direita, e não tem como lutar por Tyrion. Enquanto os dois conversam, somos apresentados a Montanha (realmente não lembro se ele já apareceu antes na série), Gregor Clegane, irmão de Cão de Caça, e conhecido por ser um lutador sanguinário, ele será o campeão pela coroa. Então é contra isso que Tyrion tem que lutar, não tem muita esperança para ele.

Outro plot que continua nesse episódio, é Arya e Cão de Caça. As cenas vão servir mais para resumir o amadurecimento de Arya, e meio que acabamos gostando um pouco mais de Cão de Caça, que está, mesmo que indiretamente, sendo como um instrutor para Arya. Vemos também a sua fraqueza, que é o fogo e entendemos o porquê quando ele conta a história de seu irmão. E agora com ele ferido, e não parecendo que vai se curar muito fácil, não parece que Arya vai conseguir chegar tão cedo ao Ninho da Águia e se unir a Sansa, ninguém nunca acreditou que ela iria realmente né.

Lá na muralha, Jon continua sendo humilhado pelo novo Senhor Comandante (nem lembro se é mesmo, é o homem que esta no comando), essa guerra tá sendo adiada faz tempo e vai continuar assim pelo visto. Provavelmente, só veremos os Selvagens atacando a Muralha no finale. 

Bem longe da Muralha, Daenerys também não tem muito avanço em seu plot, apenas avanços na sua vida amorosa. Eu achei que ia demorar mais para ela cair nos encantos de Daario, mas já foi nesse episódio, pelo menos ela estava no comando da relação, isso fala bastante da personalidade dela, mesmo que no livro seja um tanto quanto diferente, achei mais interessante na série. Também há uma conversa entre Sor Jorah e Danny que não interessa nem um pouco, só vemos ela querendo convencer todos que querem que ela siga para Westeros a ficar em Meereen e lutar para acabar com a escravidão. Não é um plot que eu achei interessante, desculpem.

Temos uma cena bem desinteressante com Melisandre e a Rainha Selyse, mas com peitos e bunda. Aquela cena que não leva muito a lugar nenhum, vemos um pouco da relação estranha entre as duas e sabemos um pouco mais da viagem que Stannis pretende fazer e de suas intenções de levar sua família junto, o que significa que ele está abandonando Pedra do Dragão.

Brienne e Podrick também aparecem no episódio, os dois são muito divertidos e isso compensa pela falta de objetivo que eles tem, estão só andando por aí procurando Sansa. Pelo menos eles conseguem descobrir que Arya continua viva. Mas claro que dificilmente Brienne vai achar qualquer uma delas, mas não custa ter esperança.

Voltando a Tyrion, ele faz sua segunda tentativa para conseguir um campeão, dessa vez sua investida é em Bronn. Esse, porém, não é idiota e muito menos fiel a Tyrion o suficiente para lutar contra a Montanha. Ele pode ter lutado por Tyrion no Ninho da Águia lá na primeira temporada (parece que faz séculos isso), mas dessa vez não lutará. Com isso Tyrion fica sem opções para seu julgamento, e se não tiver um campeão ele mesmo deverá lutar, e sendo um anão ele não tem muita chance contra a Montanha.

Já sem esperanças, eis que surge Principe Oberyn para bater um papo com Tyrion em sua cela. Essa é uma cena muito boa, a conversa dos dois é mais um jeito de sabermos mais sobre a infância sofrida de Tyrion e o constante preconceito que ele sofre. Oberyn é um personagem muito interessante, suas motivações e tudo o mais, ele é o campeão perfeito para Tyrion, um dos poucos que tem coragem de enfrentar a Montanha. 

E por fim temos Sansa, essa ai não consegue ter paz. Primeiro é atormentada por Jon, que tem um ataque de raiva e destrói o castelo de neve que ela havia construído, depois Mindinho aparece e rouba um beijo dela, e por fim a tia dela vê e tenta jogá-la pela porta da lua. Não está fácil. Sansa é facilmente enrolada enquanto conversa com Mindinho, ele diz que o que o motiva a fazer tudo o que fez é seu amor por Catelyn, ela não aprece se ofender muito com o beijo que ele lhe dá, então devemos entender que ela ainda continua sonsa.

Sendo Lysa uma pessoa bem transtornada, já era de se esperar algum escândalo da parte dela, mas tentar jogá-la da Porta da Lua talvez seja uma reação exagerada demais, até para Lysa. Só mindinho consegue acalmá-la, e esse final é foda demais, ele diz que apenas amou uma mulher em toda sua vida, e essa mulher era a irmão dela e então a joga pela Porta da Lua. Perfeito.

O episódio criou uma grande expectativa para saber como será o julgamento de Tyrion, já que é o único plot que parece que terá continuidade imediata realmente. Também devem voltar ao Theon e a missão que Ramsay lhe dará, mas o mais importante realmente, deve ser a guerra na Muralha. Com três episódios restantes já devemos entrar na reta final desses plots no próximo episódio, vai ser lindo.


Promo do próximo episódio:

Redes Sociais

SNAPCHAT

SNAPCHAT

ANÚNCIO