Review: Game of Thrones - The Children (S04E10 - Season Finale)

Sinopse: 
As circunstâncias mudam com uma chegada inesperada no norte da Muralha. Enquanto isso, Dany precisa enfrentar as realidades complicadas, enquanto Bran descobre demais sobre seu destino. Para completar, Tyrion vê a verdade sobre sua situação.
Mais uma temporada de Game of Thrones chega ao fim, e chega da melhor maneira possível. Depois de um episódio bem mais ou menos, temos um dos melhores finales da série, nos fez chorar gritar e ficamos indignados, tudo isso só prova que a série está longe de perder seu gás. Não foi um episódio perfeito, deixando a desejar em alguns plots, porém em outros foi simplesmente incrível de assistir.

O episódio continua exatamente de onde o anterior parou, com Jon Snow indo ter uma conversa com Mance, na verdade, essa seria a última tentativa de impedir uma segunda batalha. Jon e Mance conversam sobre a traição e sobre Ygrite, é um dialogo interessante mas meio tedioso, Mance deixa claro que as chances de Jon e os homens da Patrulha da Noite vencerem os selvagens é mínima, já que eles tem números bem maiores. 

E de súbito, no meio da conversa, eis que soa uma corneta e um exército aparece para a batalha, mais surpreendente ainda é o fato de ser o exército de Stannis. Para ser bem franca, eu esperava uma cena muito mais grandiosa e uma batalha muito mais sangrenta quando Stannis finalmente viesse socorrer a Muralha, esse é um dos momentos mais legais dessa guerra toda e na série senti que deram uma diminuída significante nisso, o que ofende bastante já que o episódio passado foi todo dedicado a essa batalha na Marulha, poderiam muito bem ter incluído o Stannis e ter dado o tom épico que a chegada dele merecia.

Depois de Jon conversam com Tormund sobre Ygrite, vemos ele queimar o corpo dela na floresta, além da Muralha. É um adeus bem bonito, mas pouco bem desinteressante, pelo menos esse assunto pode ser deixado de lado agora. Também do outro lado da Muralha está Bran, e quando eles finalmente chegam no lugar que Bran vem tendo suas visões, são atacados por uns esqueletos bem estranhos. É uma cena e tanto, eu particularmente, adorei os esqueletos toscos que aterrorizam eles e até conseguem matar Jojen (algo que eu não esperava), eles são tão “terror oldschool” que não tem como não gostar.

E, provando que o plot do Bran está anos-luz na frente do resto, já temos coisas do quinto livro ocorrendo, como é o caso do encontro de Bran com os descendentes dos Primeiros Homens ou coisa assim, as tais Crianças. A cena dentro da árvore em que ele conversa com o velho nas raízes é simplesmente demais.

A próxima cena nos mostra Gregor Clegane definhando após a luta contra Oberin, servindo para mostrar nada em especial... apenas Cersei confiando em Qyburn como novo Grande Meistre, ao invés de Pycelle. Seguimos então para uma cena que vai para a coleção de “não tem nos livros”, Cersei e Tywin discutem sobre ela ter ou não que se casar com Sor Loras, até ai tudo bem, ela luta com unhas e dentes contra isso sempre que pode, porém, diferente de qualquer coisa que eu esperaria ou que combinaria com a personagem, Cersei conta a seu pai que ela e Jaime são amantes. É até bem legal ela ter confessado, é notável agora que a série seguira uma direção diferente dos livros quanto a essa personagem, tanto é que ela volta a se interessar por Jaime, mesmo ele estando maneta e tudo o mais, quando nos livros ela já não quer mais se aliar a ele pois ele está fraco e mudado desde que voltou de Harrenhal.

Indo para a Baia dos Escravos, temos Daenerys com seu plot mais que insuportável, dando suas audiências diárias aos seus súditos. Primeiro temos um ex-escravo pedindo para se vender novamente a seu antigo dono, mostrando que a liberdade que ela deu ao povo de Meereen não é bem vinda a todos. Mas enfim, surge um camponês segurando ossos carbonizados e assim sabemos que os dragões, que costumavam comer cabras, agora experimentaram carne humana. Então Dany decide que seus dragões estão selvagens demais e os prende dentro de seu castelo (ou pirâmide, nem sei direito), entretanto ela não consegue prender Drogon, que foge de Meeren. É uma cena bem triste, e chata.

Voltando para Westeros, temos um encontro surpreendente de Brieene e Podrick com Cão de Caça e Arya. Não tenho palavras para expressar o quanto essa cena me surpreendeu, mesmo sendo algo inconcebível nos livros, ficou bem interessante na série. Todo o diálogo entre os quatro e a luta de Brienne com Sandor foram a segunda melhor cena do episódio, e uma das melhores da temporada, sem dúvida. É claro que no meio da confusão, Arya consegue se esconder de Brienne, e então encontra Sandor, a conversa final dos dois é prefeita, fecha lindamente esse plot. Ao fim do episódio vemos Arya embarcar em um barco para Bravos, com ajuda da moeda que ganhou de Jaqen.

O plot de Tyrion é, de longe, o mais interessante da série no momento, e assim o final dele era o mais esperado do episódio, sendo deixado para o fim. Sem enrolações, já começa a cena com ele sendo resgatado por Jaime e iniciando sua fuga do Castelo. Essa cena ficou um tanto quanto confusa, talvez devesse ter disso melhor explicado que ele encontra a passagem secreta para o quarto da Mão do Rei enquanto fugia, e ele conhecia essa passagem porque já foi Mão do Rei. 

Ele vai até o quarto para conversar com seu pai, e então encontra Shae, deitada na cama de Tywin, a cena é incrível, eles dois brigando até que ele acaba a estrangulando. Então ele segue com sua vingança, já com um ódio renovado do pai, e o encontra na latrina, essa é uma das mortes mais legais de todas as que já aconteceram nessa séries, o fato de Tyrion matar o homem mais importante de Westeros dessa maneira tão degradante é demais, só faltou ele perguntar se era verdade que Tywin cagava ouro, porém o idalogo dos dois é muito bom, um tanto diferente do que acontece nos livros, mas tem seu valor também. E então Varys termina de ajudar Tyrion em sua fuga, ficando com o trabalho de resolver a bagunça que Tyrion deixa para trás.

Assim acabamos mais um temporada, que pode não ter sido tão boa em alguns momentos mas continua sendo uma das melhores coisas que temos na TV (valeu HBO!). Agora existe o problema de não ter tido a tão esperada aparição da Lady Stoneheart, que não vou explicar quem é por que seria um spoiler e tanto, eu entendo a indignação de muitos, porém ia ser meio difícil ela aparecer agora já que nunca mais vimos nem sombra de Beric Dondarrion, o que me leva a crer que veremos ela unto com Brienne, só na próxima temporada (isso se ela for aparecer mesmo, mas acho que aparece sim, pois é uma personagem meio que muito importante).

Mas enfim, foi um final e tanto, com Lady Stoneheart ou sem ela, já ficamos com saudades da série e chorando porque ainda temos um ano pela frente até a próxima temporada, mas até lá temos que ser fortes porque não vai ficar mais fácil a vida dos amados Starks ou de Tyrion (ou de qualquer um realmente). É isso aí, Winter Is Coming.

Redes Sociais

SNAPCHAT

SNAPCHAT

ANÚNCIO