Review | Doctor Who - Into the Dalek (S08E02)

Sinopse:
Uma nave rebelde solitária tem uma ultima esperança. Mas será que se pode confiar nela? Para descobrir, um grupo é miniaturizado e embarca em uma fantástica viagem Dalek adentro, onde o Doutor é confrontado com uma decisão que pode causar muitas mudanças.

Pouco a pouco vamos conhecendo melhor esse novo Doctor, é sempre um período estranho de transição quando acontece uma regeneração, mas não tem porque achar ruim. Essa temporada começou muito bem e só melhorou, com Into the Dalek temos um plot que de tão tosco fica interessante e um novo personagem que pode vir a ser bem interessante.

Começamos o episódio com o Doctor tentando ajudar mais um necessitado em apuros no universo, dessa vez é uma soldada chamada Journey Blue, que antes de ser atingida por um Dalek é resgatada, infelizmente o mesmo não pode ser dito do irmão dela, o que traz uma interação interessante entre os dois durante todo episódio.

O plot apresentado é muito bom, um Dalek que aparentemente parece ter sentimentos é algo com potencial para ser explorado, porém não tão bem bolado é eles se encolherem para entrarem dentro do Dalek. Mas de tão tosco que a idea possa ser, ela é muito bem desenvolvida e temos que dar o braço a torcer, mesmo com uma coisa tão não original como encolher os personagens e manda-los para dentro de um Dalek, foi um episódio ótimo.

Após sermos apresentados ao plot principal do episódio, vamos a Clara, mas especificamente a escola onde ela trabalha para conhecermos o mais novo personagem da série (pelo menos parece que ele vai ficar mais um pouquinho), Danny Pink. Ele é um ex-soldado que não é lá muito jeitoso com as mulheres e ainda sofre estresse pós-traumático da guerra. A vontade de mostrar o quão traumatizado ele ainda está é um tanto exagerado, muito ruim ver uma lagrima solitária caindo no rosto dele quando um dos alunos perguntam a ele se ele já matou alguém. Entretanto, o relacionamento entre ele e Clara, mesmo que sendo apenas iniciado, é fofo e desajeitado demais para não conquistar qualquer um.

Mas enfim, Doctor e Clara se encontram para seguir para a próxima aventura, para dentro de um Dalek. Podemos perceber então que o episódio vai ser bastante sombrio, com um continuo debate de bem e mal, usando a metáfora de um “Daleks bom” para representar a nova personalidade do Doctor. Ele é uma boa pessoa? Aparentemente, ele também está atrás dessa resposta.

A entrada deles no Dalek é psicodélica, é extremamente bizarro a ideia de eles estarem andando dentro de um dalek porque foram encolhidos, mas aceitando essa premissa o episódio rende bastante. Durante boa parte da exploração deles pelo dalek recebemos a reafirmação de que Daleks são as criaturas mais perigosas do universo e estar dentro de um dalek é bem perigoso. O primeiro obstáculo são os anticorpos do dalek o que por si só já é bizarro, eles conseguem fugir deles porque descem pelo tubo de eliminação de resíduos orgânicos algo como um esôfago (é isso aí) que leva eles direto para o “estomago do dalek”. A mistura entre robô e organismo é bem legal de ver, fica mais evidente que o dalek é um ser vivo bem complexo.

Depois de analisar o dalek, descobrimos que o motivo dele ter sentimentos é porque existe um vazamento de radiação no núcleo dele. Assim, depois que essa falha no mecanismo é o consertada, a cruel natureza do Dalek retorna. O que deixa o Doctor satisfeito, de certa forma, pois como ele havia dito; não existem Daleks bons, e agora isso estava comprovado. Esse é outro momento em que vemos um pouco mais da nova personalidade do Time Lord, e como Clara consegue trazer alguma humanidade para ele com um pouco de "persuasão". Ela, ainda faz com que ele não desista de tentar “consertar” a criatura, apontando que pode não haver Dalek bom, mas é possível transformar um. Aliás, é um pouco difícil de aceitar essa relutância do Doctor sobre tal coisa existir, uma vez que a própria Clara já foi um Dalek que salvou sua vida.

De qualquer forma, eles seguem com a ideia de reverter a natureza do Dalek, tendo que chegar ao centro de memória dele. Para isso é necessário fazer alguns sacrifícios, e dessa vez quem morre é a soldado Grechen, que vai para nada mais nada menos que no Heaven, para tomar um chá com Missy. Mais uma aparição misteriosa desse lugar que deve ser explicado logo mais e deve ser o plot principal da temporada. Mal podemos esperar para uma explicação.

Voltando a confusão com os daleks, Doctor e companhia conseguem chegar ao centro do dalek, e novamente temos a visão do dalek verdadeiro, dentro da máquina. Nunca é algo bonito de se ver. De qualquer forma, a cena da conversa do Dalek com o Doctor é o ponto alto do episódio, sem dúvida. O momento em que o Dalek divide os pensamentos com o Doctor e espelha seu pensamento no dele e passa a odiar Dalek é outro nível, um momento em que o dalek poderia ter sido “purificado” mas a mente corrompida do Doctor não é capaz disso pois o ódio dele pelos daleks sempre vai ser forte demais.

Essa cena também vai responder a pergunta que o Doctor fez a Clara no início do episódio, não, ele não é um homem bom, não nesse momento... não o bastante para tornar bom um dalek. Porém isso seria pedir demais de alguém, mesmo que esse alguém seja um Time Lord. Esse é um Doctor bem sombrio, mais do que os anteriores e ainda cheio de culpa, talvez a melhor descrição desse Doctor seja realmente de utópico “dalek bom”, como uma máquina de matar que tem sentimentos, que sente remorso e arrependimento mas que mesmo assim mata. O que Clara fala no final também serve como um complemento para isso, que ele pode não ser uma homem bom, mas ele tenta ser e é isso que conta. 

Ainda no final temos outra cena que foi, de certa forma, significativa, e que o conceito pode vir a ser explorada mais pra frente. É quando Journey Blue pede para o Doctor levá-la com ele, sendo rejeitada logo de cara. "Queria que você não fosse um soldado" ele diz. Afinal, o Doctor entende como a mente de um funciona, e tudo que ele não precisa nesse momento é alguém como ele por perto. Também é legal ver como a Clara funciona como a contraparte dele, não julgando Danny pelo seu passado. O que pode vir a ser um conflito entre os ela e o Doctor mais tarde.
________

Esse foi um ótimo episódio, que tratou bastante da nova personalidade do Doctor deixando um pouco mais de lado todo o problema de ser aceito pela Clara para focar nele aceitar a ele mesmo. E já que isso foi bem explorado nesse episódio já podemos seguir em frente com o plot e começar a explicar quem é Missy e por que de tudo aquilo.

Obs 1: Desperdiçaram uma bela oportunidade de aproveitar algo relacionado a Oswin, mesmo que fosse pra fazer apenas uma referencia.
Obs 2: Don't be lasagna!



← Deep Breath (S08E01)                                                                                   Robot of Sherwood (S08E03) →

Redes Sociais

SNAPCHAT

SNAPCHAT

ANÚNCIO