Resenha | O Sangue do Olimpo (Os Heróis do Olimpo - Livro 5)

Título: O Sangue do Olimpo
Título Original: The Blood of Olympus
Autor(a): Rick Riordan
Editora: Instrínseca 
Ano: 2014
Páginas: 432

Sinopse: No desfecho da série Os heróis do Olimpo, os tripulantes gregos e romanos do Argo II têm feito progresso em suas constantes missões, mas ainda não estão nem perto de vencer a sanguinária Mãe Terra, Gaia. Os gigantes estão de volta mais fortes do que nunca , e os semideuses precisam impedi-los antes da Festa de Spes, momento em que Gaia planeja despertar, derramando o sangue do Olimpo. Para piorar, visões frequentes da terrível batalha no Acampamento Meio-Sangue assombram os sete semideuses. A legião romana do Acampamento Júpiter, comandada por Octavian, está se aproximando das fronteiras do acampamento grego. Por mais que seja tentador usar a Atena Partenos como arma secreta contra os gigantes, eles sabem que a estátua é necessária em Long Island, onde talvez consiga impedir uma guerra entre os acampamentos.

Clique aqui para conferir as resenhas dos outros livros da série.


A primeira parte da resenha é livre de spoilers, com uma opinião geral sobre o livro. Já na segunda, eu comento alguns pontos da história, ou seja, com spoilers. 


O Sangue do Olimpo é o quinto e último volume da série Os Heróis do Olimpo, spin-off de Percy Jackson e os Olimpianos. Aqui, finalmente, vemos o desfecho da batalha dos sete semideuses da profecia contra Gaia. Tive algumas ressalvas com o livro, mas gostei bastante.

Quem leu O Último Olimpiano sabe que Riordan pecou em criar aquele clima de último livro, onde qualquer um pode morrer, e em fazer uma batalha épica de conclusão. Em O Sangue do Olimpo o autor melhorou um pouco nesse quesito, a batalha contra Gaia até que foi bem legal. Não foi nada muito épico, mas fez jus à toda história. 

Minha outra ressalva é: Cadê os capítulos com o ponto de vista de Percy? Não bastando eles não terem POVs, Percy e Annabeth são praticamente personagens secundários nesse livro. Eu vi um tweet do Riordan falando sobre o fato de que os dois já salvaram o mundo várias vezes, inclusive no volume anterior, e que agora era a vez dos outros semideuses. Eu entendo, mas poxa, custava cortar alguns capítulos do Jason e adicionar outros do Percy?

No quinto livro vemos a história pelos olhos de Jason, Piper, Leo, Nico e Reyna. Apesar de sentir falta de Percy e tudo mais, eu gostei destes “narradores”. Os capítulos de Nico e Reyna foram uma surpresa para mim e se mostraram bem interessantes. O desenvolvimento dos dois ao longo do livro é incrível. Os de Leo dispensam comentários. E os de Piper e Jason também não foram chatos. Os pontos de vista de Leo, em minha opinião, foram os melhores, e suas piadas renderam várias marcações no meu exemplar.

Essas foram as minhas únicas ressalvas com o livro. De resto, eu adorei! A história foi bem divertida, daquele jeito característico do Riordan. Assim como os outros livros do autor, O Sangue do Olimpo é uma leitura fácil e rápida, daquelas que passam voando e você nem percebe.

Mesmo não sendo aquele último livro chocante, com plot twists, muitas mortes e tudo mais, o autor conseguiu me surpreender com o final dado a alguns personagens. Ele meio que fez o que todos esperavam, só que de outra forma. Não posso discutir isso aqui pois seria spoiler. Não é nada “OMG!”, mas eu fui pego de surpresa.

Rick Riordan conseguiu manter o nível da série e a finalizou de forma digna. Por mais que eu goste desses personagens, espero que ele não decida escrever outra série baseada neles. Sua próxima trilogia será “Magnus Chase e os Deuses de Asgard”. Sim, Magnus é parente de Annabeth e o autor até deu uma “dica” sobre ele em O Sangue do Olimpo.

Fica aí a dica de uma série (não só essa, mas Percy Jackson e os Olimpianos, também) muito divertida, rápida de ser lida, com ótimos personagens e com uma história que te prende do início ao fim.

 INÍCIO DOS SPOILERS


Como falei anteriormente, o autor me surpreendeu com um dos finais. E esse foi o de Leo. Todo mundo já esperava que ele terminasse com Calipso e eu já desconfiava de que ele não tinha morrido. Mas a forma como o autor fez isso foi demais. Adorei eles saindo da ilha montados no Festus sem destino definido. (Eu queria que eles tivessem aparecido no Acampamento, mas até que o final ficou legal dessa forma.)

Vamos falar da suposta morte de Leo. Eu gostei do autor ter criado aquele clima de morte, sem ter de fato matado algum personagem importante. Não queria que Leo morresse, mas, caso isso tivesse acontecido, sua morte teria sido bastante digna. Gostei de como o sacrifício dele foi colocado na história.

Já o restante dos personagens terminou do jeito esperado. Frank e Hazel, Piper e Jason e, é claro, Percy e Annabeth, ficaram juntos. Adorei ver os dois fazendo planos para terminar o ensino médio e ir para a faculdade.



E aí, já leu O Sangue do Olimpo? O que achou? Deixe a sua opinião nos comentários! 



Lucas Zeferino

Redes Sociais

SNAPCHAT

SNAPCHAT

ANÚNCIO