Resenha | Coroa da Meia-Noite (Trono de Vidro - Livro 2)

Título: Coroa da Meia-Noite
Título Original: Crown of Midnight
Autor(a): Sarah J. Maas
Editora: Galera Record
Ano: 2014
Páginas: 406
Sinopse: Celaena Sardothien, a melhor assassina de Adarlan, tornou-se a assassina real depois de vencer a competição do rei e se livrar da escravidão das Minas de Sal de Endovier. Mas sua lealdade nunca esteve com a coroa. Tudo o que deseja é ser livre — e fazer justiça. Nos arredores do castelo, surgem rumores a respeito de uma conspiração contra misteriosos planos do rei, mas antes de cuidar dos traidores, Celaena quer descobrir exatamente que planos são esses. O que ela não imaginava é que acabaria em meio a uma perigosa trama de segredos e traições tecida ao redor da coroa.  

Esta resenha contém spoilers do primeiro volume da série. Clique aqui para conferir a resenha de Trono de Vidro.

Após vencer o torneio promovido pelo reino, Celaena se torna a assassina oficial do Rei de Adarlan. E é assim que encontramos a protagonista no começo deste volume, exercendo essa função indesejada que é seu passaporte para a liberdade. 


Mesmo com toda a expectativa  criada para esse livro, Coroa da Meia-Noite não me decepcionou. A autora manteve o nível apresentado em Trono de Vidro e pôde apresentar um novo lado dessa história. Devido ao fato de o primeiro volume ser centrado, basicamente, no torneio do Rei, o que era mostrado ao leitor não fugia muito disso. Agora, com Celaena exercendo sua obrigação como assassina, vemos novos rumos para a trama da série. Dá de perceber que a autora tem um plano, e que ainda tem muita coisa para acontecer nos próximos volumes.


Nesse livro também temos um grande desenvolvimento de personagens. Celaena continua a mesma protagonista forte e bem construída, e aqui, começamos a descobrir mais sobre o seu passado e sobre como ela se tornou o que é. Chaol e Dorian ganharam mais destaque nesse volume. Além do ponto de vista de Celaena, também pudemos acompanhar os dois em suas próprias tramas, o que possibilitou a autora de mostrar ao leitor quem esses personagens são e seus plots inicialmente independentes da história principal.


Um indício de triângulo amoroso foi apresentado em Trono de Vidro e nesse volume a autora, de fato, desenvolve a relação dos três. E ela o fez muito bem. Eu, que não gosto nada de romances melosos e de mimimi de personagem, digo que Maas não seguiu esse caminho.


Assim como o primeiro, devorei esse volume. O livro tem um ritmo ótimo e a autora não deixa a peteca cair. Sempre tem algo acontecendo e a narrativa, cada vez mais intrigante, nunca fica parada. 


Eu li alguns comentários dizendo que as reviravoltas do livro foram previsíveis. Isso não aconteceu comigo. A autora me pegou de surpresa durante toda a leitura e, devido à revelação do final, eu não sei como vou conseguir esperar o terceiro volume, que será lançado no Brasil só no ano que vem.


Se você ainda não leu O Trono de Vidro, leia.  A série, que terá seis volumes, é bem escrita, cheia de mistérios, tem personagens bem construídos e possui um sistema de magia bastante interessante e diferente.  



Lucas Zeferino

Redes Sociais

SNAPCHAT

SNAPCHAT

ANÚNCIO