Crítica | How to Get Away with Murder - 1ª Temporada


How to Get Away with Murder foi uma das estreias que mais gerou buzz nessa última fall season. Produzida por Shonda Rhimes (Grey’s Anatomy e Scandal), a série apresentou uma premissa bastante interessante e teve muitas, mas muitas reviravoltas.

A série começa com a investigação do sumiço de uma garota, que resulta em um assassinato e tudo vira uma enorme bola de neve, onde praticamente ninguém está isento de culpa. É nesse cenário que conhecemos Annalise Keating e seus alunos do curso de direito. Acompanhamos todos não só tentando achar respostas para os mistérios apresentados, mas também tentando livrar suas próprias peles.

Já desde o piloto, a série apresenta flashforwards para atiçar a curiosidade do telespectador e deixá-lo, na maioria das vezes, bastante confuso. A série soube utilizar bem os flashes do futuro de forma a deixar inúmeras possibilidades em aberto.

Por se basear, principalmente, na solução de um assassinato, parecia que How to Get Away with Murder seria uma daquelas séries que possuem data de validade. Pelo menos nestes primeiros quinze episódios, o seriado conseguiu manter a história interessante e emendar mistério atrás de mistério. O final da primeira temporada deixa mais um ponto de interrogação para o público. Vamos ver se ele será bem desenvolvido.

Apesar de ter gostado da forma como a série “não deixou a peteca cair” durante essa temporada, um ponto que não me agradou foi o excesso de reviravoltas apresentadas. Mas isso vai do gosto de cada um.

Viola Davis, definitivamente, foi o destaque da série. A atuação dela estava incrível. Ela conseguiu transmitir muito bem tudo aquilo que Annalise estava passando. Tanto nos momentos em que ela demonstrava fragilidade, quanto nos momentos em que ela tinha que ser forte. O mesmo não pode ser dito de alguns dos outros atores, como por exemplo, Alfred Enoch, que interpretou o Wes (e o Dino Thomas, lembram?). Não sei se foi só comigo, mas a atuação dele não me convenceu muito.

Apesar de minhas ressalvas, me entretive com a série e, no geral, gostei da primeira temporada. Espero que ela não saia dos trilhos quando voltar na próxima fall season e continue apresentando bons mistérios meio novelescos do tipo “Quem matou fulano?”.

Lucas Zeferino

Redes Sociais

SNAPCHAT

SNAPCHAT

ANÚNCIO