Review | Game of Thrones - The House of Black and White (S05E02)


E finalmente, depois de um hiatos enorme e um episódio, pudemos ver Arya chegando em Bravos. A decisão de terminar a temporada passada com ela pegando o barco foi bem duvidosa e ainda mais desconsiderada quando Arya não apareceu no primeiro episódio dessa quinta temporada. Uma falta de planejamento besta, mas agora já foi e a espera valeu a pena nessa segunda visita a Bravos (brevemente visitada por Davos na temp orada passada) deu para ver mais da cidade, que é tão imponente quanto a estatua que a guarda, achei até mais desenvolvida e "moderna" que Westeros/Essos. As cenas de foco da personagem foram em torno da "Casa do Preto e Branco" que é título do episódio. O misterioso homem á deixando de fora da casa até se revelar Jaquen Hagar, quer dizer, revelar poder ter a cara dele, foi algo bem legal depois de duas temporadas de espera por uma possível volta dele.

Lá na muralha continuamos seguindo a dinâmica Stannis/Jon que é estranhamente boa. Digo estranhamente por achar que ambos os personagens são os mais sem graças da história, mas também deu para ver a Gilly aprendendo a ler com a Shireen que de certa forma são as duas personagens mais "inocentes" da série e ajudou a balancear. Stannis ofereceu o nome Stark e lugar como rei do norte para Jon, que obviamente recusou por ser sem graça e com “honra”. Só não deu raiva por terem tornado ele o novo lorde comandante da guarda da noite (coisa que ele também não queriazzzzZZZZ).

Cersei continua com raiva de Jaime por ter soltado Tyrion e o envia numa missão para salvar a filha deles, Mycerlla, (aquela que você até esquece que existe de tanto tempo desde que apareceu como figurante) após receber uma "ameaça" de Dorne, que apareceu rapidamente. Enquanto isso Tyrion e Varys continuam na jornada até Daenerys, os atores Peter Dinklage e Conleth Hill podem não ter muito o que fazer até lá, mas as cenas de ambos são sempre legais de ver.

Depois do último episódio deu pra ver que Brienne e Pod estavam quase do lado da Sansa e do Midinho e a surpresa é que eles já se encontraram nesse! É tão raro ver Game of Thrones aumentar os passos com coisas assim e ainda bem que decidiram fazer isso, pois Brienne e Pod estavam com cara de Arya e Cão na temporada anterior... E não, isso não é bom. A Sansa rejeitar a Brienne era algo que eu já esperava, até a Arya que tinha tudo para ser a "BFF" dela não quis ajuda. A fuga de Brienne e Pod foi uma das minhas cenas favoritas com esses personagens, bem leve e engraçada, pro padrão da série. 

Daenerys pelo jeito voltou a render com cenas boas! A trama dos filhos da harpia vs. ex-escravos e todos os dilemas que isso envolvem é algo que da uma sustância e clima para todo o núcleo de Meeren, diferente do que foi na temporada anteriores. Os diálogos também estão menos largados que anteriormente e destaco Barristan revelando que o pai da “mãe dos dragões” era meio.. Desequilibrado.. E o peso disso no "sangue" dela, que ela ama vangloriar por aí, já se mostram negativos quando ela tem de julgar o ex-escravo Mossador pela morte de um dos escravistas e rebeldes filhos da harpia, fazendo a cidade toda se rebelar. E na cena final tem a volta de Drogon! que chega lembrando a todos que além de não ter controle pela cidade, ela também não tem pelos dragões. E sem falar que essa tomada final é uma das mais bonitas da série até hoje.

Vi muita gente reclamar que esse episódio foi parado, sem nada de mais etc... Não concordo, nem um pouco, acho que isso é Game of Thrones em seu ponto alto e todas as tramas mostradas tiveram algo interessante a ser apresentado sem precisar arrebentar o balde como costumam fazer nos episódios 9 de cada temporada. Os paralelos entre os personagens e suas decisões foi algo que deu pra brincar, os novos lugares e desafios dão um ar novo a série, algo que provavelmente é justificável pela terceira e quarta temporada terem sido baseadas em apenas um livro e isso tenha feito com elas se manterem num mesmo ambiente por muito tempo.

Redes Sociais

SNAPCHAT

SNAPCHAT

ANÚNCIO