Especial | Heroes


Heroes é um assunto delicado entre os seriadores. A série divide opiniões. Uns adoram, outros odeiam. Alguns adoram a época de ouro do show e se decepcionaram com as temporadas seguintes. Eu me encaixo nesse último grupo.

Heroes começou com uma trama muito bem bolada, cheia das interligações, com vários personagens com histórias interessantes e com um plot bem desenvolvida ao longo dos seus 23 episódios iniciais. A partir daí, a série foi muito afetada pela greve dos roteiristas e isso foi refletido já na segunda temporada. Se antes a história era planejada e tinha um rumo definido, a partir desse ponto já não era mais assim. Alguns plots chegavam a ser ridículos.

Com personagens diversos e com os mais diferentes tipos de poderes, a história, pelo menos a da primeira temporada, era muito bem montada e sabia interligar os diferentes plots apresentados. Todos os episódios terminavam de uma forma que era impossível não assistir ao próximo na mesma hora. Isso é o que mais revolta em toda essa decadência da série.

Na segunda temporada, ainda havia esperança para que a série continuasse boa. Mas daí para frente só piorou. Até então, uma trama que envolvia super poderes e “heróis” era novidade na TV. Uma pena que não tenha dado certo durante todo o seu tempo nas telinhas.

Reborn


Como não ficar receoso com a notícia do revival? Creio que todos os fãs ficaram com medo, ou, no mínimo, acharam desnecessário. Eu, particularmente, gostei da ideia. Principalmente depois dos trailer divulgados e pelo fato de ser uma minissérie somente com 13 episódios.

É fato que Heroes tem um potencial que foi desperdiçado com aquelas últimas temporadas ruins. Esse retorno pode trazer novamente aquela Heroes da primeira temporada, com plots bem bolados, como esse aparenta ser. Perseguição das pessoas com poderes. Tem tudo para dar certo. 

Lucas Zeferino

Redes Sociais

SNAPCHAT

SNAPCHAT

ANÚNCIO