Review | Hannibal - ...And the Beast from the Sea (S03E11) e The Number of the Beast is 666 (S03E12)

...And The Beast from the Sea (S03E11)

Sinopse:
Will e Jack correm contra o tempo para descobrir qual será a próxima família na lista de alvos do Dragão Vermelho. Enquanto isso, Alana oferece a Hannibal uma chance de redenção. Já Dolarhyde enfrenta uma luta interna sobre seus sentimentos por Reba.

Com esse episódio estamos a apenas dois episódios do fim da série, e não consigo para de pensar que talvez poderia estar bem melhor. Alguns personagens poderiam estar sendo bem melhor desenvolvidos, mas ainda assim a série se mantem bem interessante. Esse episódio trouxe um pouco mais da relação entre Dolarhyde e Reba, e também entre Dolarhyde e Hannibal. E temos também o FBI sendo passado para trás mais uma vez, já que eles ali nunca aprendem a lição. E claro, o ponto alto do episódio, Dolarhyde perseguindo a família de Will.

É notável como a história está sendo arrastada e rápida demais, para quem viu o filme ou leu o livro, sabemos que deveríamos ter um pouco mais de informação sobre o passado de Francis Dolarhyde, algo mais sobre sua mãe e sua infância. Tivemos apenas a primeira cena, com um flashback dele sentado em uma mesa rodeado de idosos, o que sem qualquer explicação não dá muito contexto para quem não conhece o personagem. Existe também o fato de não ter ficado claro como ele escolhe suas vítimas, pelo menos sabemos que ele trabalha junto com Reba e a série nos dá a entender que é em uma empresa onde se revelam filme. 

Mas enfim, começamos o episódio uma conversa entre Alana, Will e Jack, sobre o Grande Dragão Vermelho/Fada do Dente, é interessante vê-los raciocinando e tudo o mais, vê-los interpretar o ato de comer a pintura e não matar a curadora do museu. Temos também, alguns fashbacks de consultas entre Hannibal e Dolarhyde, uma abstração da narrativa, mostrando como seria uma consulta entre os dois, as conversas que eles matem pelo elefone (SEM QUE NINGUEM NO HOSPITAL INTERCEPTE!!! Que coisa burra). Nelas, Hannibal claramente empurra-o ainda mais para o Dragão, podemos ver que Dolarhyde sente medo de se tornar o Dragão completamente, porém Hannibal o manipula facilmente, e o direciona para Will. Cada vez mais Dolarhyde se aproxima do Dragão completo, seu relacionamento com Reba poderia ser algo que o impedisse de se juntar completamente com esse lado obscuro, porém a influência de Hannibal parece ser mais forte. 

E quando os cachorros de Will ficam doentes, fica meio muito obvio que Dolarhyde vai ataca-los logo, e claro, Molly prefere não contar nada a Will. Mas enquanto isso, Will e Hannibal tem uma breve conversa sobre o contato que Hannibal está tendo com Dolarhyde, e temos ai uma homenagem ótima aos filmes/livros, Hannibal zomba da dedução de Will e dá como exemplo as formas de contato que foram usadas tanto em Dragão Vermelho (Anúncios no jornal) quanto em Silencio dos Inocentes (cartas no papel higiênico). Claro que tudo isso é mais crível que receber ligações diretas, sem interferência algum dentro da cela de segurança máxima num hospital-prisão, mas okay. OKAY.

Então vamos a tentativa de ataque a Molly e Wally, a cena toda é ótima, atinge um climax muito bem construído, suspense de primeira. Ponto alto do episódio, sem dúvidas, uma cena bonita de ver. Mas isso acontece no meio do episódio e ainda tem muita coisa para ser mostrada, porém boa parte dela é Will e sofrendo e Deus sabe que a audiência já tá saturada disso. Finalmente após o ataque, Hannibal é vigiado mais de perto. Mas claro que o trato que fazem com Hannibal é estupido, confiando demais nele. Não entendo porque retratam o FBI de uma forma tão displicente, como se fosse normal deixar serial killers terem tanta liberdade assim. 

Vemos então, um conflito entre Dolarhyde e o Dragão onde o ultimo sai vencedor, é bem legal de ver e devo dizer que Richard Armitage mesmo que tenha criado um Dolarhyde menos interessante que o do filme ou até o do livro, da tudo que pode pelo personagem. A pode ser bem ruim no que diz respeito ao contexto do qual surge Dolarhyde, porém o conflito que ele tem é muito bem retratado, só acho que não necessitaria ter um sem o outro, a serie poderia muito bem ter explorado os dois.

E como idiotas, o FBI finalmente põe uma escuta no telefone de Hannibal, e ao invés de não o avisar de que fariam isso eles tentam fazer com que Hannibal consiga o nome do Dragão. Claro que isso nunca daria certo, e depois de ele deixar escapar o nome de Reba Hannibal avisa que o FBI está escutando. Dando a eles uma pista razoável para acha-la, mas provavelmente não boa o bastante para acha-la a tempo. O bom é que tudo isso rende a tão esperada cena de Hannibal com a máscara. Pelo menos isso.

E para finalizar o episódio, depois de um papinho entre Will e Molly, ele vai discutir a relação com Hannibal. De certa forma Hannibal é bem mais útil quando conversa apenas com Will, mesmo que ele sempre esconda a verdadeira informação por trás de camadas e camadas de metáforas, ele acaba cooperando um pouco mais do que quando Alana e Jack estão envolvidos.

Foi um episódio mediano, ele desenvolve a história um pouco mais mesmo que de maneira monótona, quem viu os filmes sabe que já está bem próximo do final e o fato de só termos mais dois episódios deixa isso bem obvio. Porém, acho uma pena não termos conhecido melhor o passado de Dolarhyde, também é uma pena como Will foi se tornando cada vez mais um personagem chato (na minha opinião), mas dependendo de como for o final tudo isso vai valer a pena.




The Number of the Neast is 666 (S03E12)

Sinopse:
Will e o FBI contam com a experiência do Dr. Chilton para atrair o Dragão Vermelho em uma emboscada, utilizando Freddie Lounds como sua porta-voz. Enquanto isso, Dolarhyde, sentindo que sua captura se aproxima, resolve começar sua caçada final.

Depois de um episódio apenas satisfatório, a série conseguiu se por novamente no nível que se espera dela. Esse penúltimo episódio foi tudo que estávamos esperando nesse segundo arco da temporada e conseguiu criar muita expectativa para o último episódio. Deixou o caminho traçado para a captura de Grande Dragão Vermelho e talvez até salvar Reba de uma morte eminente.

Já começamos com o Will atormentado por seus pesadelos, e falando disso com Bedelia, que parece ser a nova escolha de companhia dele. Porque Will gosta tanto de se misturar com pessoas de caráter duvido, não consigo dizer, talvez ele goste de conversar com ela por os dois terem passado por situações semelhantes cm Hannibal ou coisa do tipo.

Mais uma vez a série se aprofunda num persegue a relação entre Will e Hannibal de forma um tanto quanto homossexual, mesmo que seja sutil (não é tão sutil assim). Não acho que seja necessário ainda se manter nisso, mas claramente o criador sente que está em dívida com os fãs mais radicais da série que acreditam que no amor entre os dois personagens, ou quem sabe o próprio criador é partidário. De qualquer forma, acho que o foco dessa arco deveria ser outro, e todo esse apego pela relação entre Will e Hannibal, mesmo sendo o centro da série poderia ser posto um pouco de lado.

Deixando a reclamação para trás, é interessante ver como tudo que vem acontecendo continua sendo arquitetado por Hannibal, e como mesmo que todos ao seu redor saibam disso ele continua tendo sucesso em suas manipulações. A metáfora que Jack e Hannibal usam em sua conversa é muito boa também, da sempre para contar com um texto bom na série.

Jack, Alan e Will então decidem partir para o ataque e tentar criar uma armadilha para capturar o Dragão, a ideia não é das melhores, mas faz algum sentido. Mas fica bem obvio que coisa boa não ia sair do plano deles. Enquanto isso, temos uma bela cena entre Hannibal e Chilton, ele foi um personagem que melhorou bastante no decorrer da segunda temporada e sem dúvida é um dos meus preferidos, e vê-lo ameaçando Hannibal foi um dos pontos altos do personagem nessa temporada, sem dúvida.

Assim, Chilton e Will, com ajuda de Freddie Lounds, vão fabricar uma entrevista que ofende profundamente Dolarhyde, de forma que ele queria retaliar contra o FBI, mas especificamente Will. Durante a entrevista temos mais um vislumbre do que pode ter tornado Dolarhyde o que é quando Chilton fala que o Dragão só pode ser produto de um lar disfuncional, coisa que ainda não foi explorada na série (e nem será já que o próximo episódio será o último), coisa que eu lamento bastante.

Obviamente, o plano não sai como Jack e Will planejaram, como quem já leu ou viu o filme deve saber, Dolarhyde decide ir atrás de Chilton (no caso do filme/livro a vítima é outra pessoa). E dessa vez Chilton não vai conseguir sair vivo, ele sobreviveu a operação de Dr. Gideon e ao tiro na cara, mas ser queimado vivo não nos dá muitas esperanças. Mesmo assim, a cena é incrível, a conversa entre eles cria uma atmosfera de incerteza que até o fim nos deixa sem saber o que pode acontecer, e as tentativas de fazer com que o Dragão não o mate são impressionantes mas sabemos que nada bom sairá dali. Mesmo assim, com a chegada surpresa de Reba ainda sentimos que talvez Chilton consiga se livrar, existe também o fato da estranheza da presença dela ali falando sobre sentimentos enquanto Chilton observa tudo.

É torturante ver que a todo momento Dolarhyde dá esperanças a Chilton de que ele pode sair dali vivo, porém após ele mostrar seu rosto a ele fica difícil acreditar que Chilton tem alguma chance. E após ele gravar o vídeo Dolarhyde se transforma em dragão e morde a boca de Chilton fora, e depois envia-la para Hannibal. Temos que amar o gore dessa série, é sempre tão sangrenta. Vemos, então, Hannibal receber os lábios de Chilton pelo correio com um bilhete escrito “com esses ele me ofendeu”, melhor ainda foi ver uma cena rápida com Hannibal comendo um dos lábios. E ainda, todos sabem que tudo que ocorreu foi culpa deles próprios, principalmente Alana, como Hannibal aponta.

E claro, tudo serve para aumentar ainda mais o tormento de Will, e mais uma vez ele vai até Bedelia que nada faz para diminuir a culpa dele. E enquanto os dois conversam vemos o destino de Chilton e ainda temos um belo paralelo com a primeira parte da temporada quando Bedelia mostra a Will que ele e tão culpado pela morte de Chilton quanto o próprio Dragão.

E por mais incrível que pareça, Chilton ainda sobrevive a ser queimado vivo (eu nem acredito nisso HAHA). E tem forças o bastante para culpar Will e ainda lhe ajudar a descobrir a identidade do Dragão. Então eles descobrem sobre Reba, porém parece ser um pouco tarde demais já que vemos Dolarhyde a capturar e mantê-la presa. Ela é a última coisa que ainda prende a sua humanidade é o sentimento que ele nutre por ela, e assim ele explica para ela o que fez e o que é.

Assim termina o episódio, e tenho que dizer que poderia ter terminado um pouco melhor, entretanto é inegável que foi um episódio e tanto. Movimentou a história e a deixou pronta para o finale, o FBI já tem como descobrir que Dolarhyde é, e apanha-lo. Sinto que a moral do FBI tem sido denegrida bastante desde o início da série, é quase idiota a forma com que a incompetência deles é mostrada, coisa que nem sempre me deixa feliz. Não é lá muito verossímil como os serial killers conseguem passa-los para trás. Mas de qualquer forma, no próximo episódio tudo acabar, e desde agora já estou em depressão de dizer adeus a série.



Promo do próximo (e último) episódio:

Redes Sociais

SNAPCHAT

SNAPCHAT

ANÚNCIO