Review | Hannibal: ...And the Woman clothed in Sun e ...And the Woman clothed with the Sun

...And the Woman Clothed in Sun (S03E09)

Sinopse:
Enquanto a procura do FBI pelo Fada do Dente se intensifica, Will resolve pedir a opinião de Hannibal sobre a psique atormentada do assassino, preocupando Alana. Enquanto isso, uma nova mulher entra na vida de Dolarhyde.

O episódio não só da continuidade ao novo plot como também vem cheio de flashbacks. Não foi bom como eu esperava que fosse, mas tem seu valor dentro da história, temos Abigail aparecendo novamente enquanto damos olá para novos personagens já conhecidos de quem acompanhou os filmes. Entendemos um pouco mais do que Hannibal pretendia fazer antes de se sentir traído por Will no final da segunda temporada e, também, o que diabos aconteceu com Margo e Alana.

A primeira cena do episódio continua exatamente de onde o passado parou, vemos então um encontro bem incomodo entre os dois, Will se mantem distante como quando Hannibal se entregou a polícia, o que parece deixar Hannibal infeliz, esse contato deve ter sido aguardado por ele durante muito tempo. E, nos lembrando de como tudo acontecia nos filmes, Hannibal tenta ter uma conversa pessoal com Will em troca de ajuda-lo no caso. Ele sempre anda atrás de um pouco de intimidade. Além disso, não tem como nega a beleza da cena, o jogo de luz e sombra usado sobre os personagens é bem bonito, principalmente quando Will entrega o arquivo para Hannibal.

E com isso seguimos para o primeiro flashback do episódio, e com ele vem também Abigail (quando a gente acha que não precisa mais ver a cara dela, ela volta para assombrar...) em seus momentos com Hannibal no qual descobrimos como ele forjou a morte dela e o quão envolvida ela estava com tudo. A conversa entre os dois não é tão reveladora já que estava bem claro que ela confiava em Hannibal cegamente, e quando ela pede para apertar o botão que expele o sangue fica mais claro ainda o quão psicopata ela é. 

Não tão psicopata quanto os dois, por mais que Hannibal diga o contrário, Will se mostra temente de conversar com Hannibal, como fala em sua conversa com Alana. Os dois parecem manter uma amizade mesmo depois de tudo que aconteceu, e então sabemos que no final das contas Alana foi a barriga de aluguel para o bebe Verger, um final temporariamente feliz para as duas pelo menos. 

A troca de ideias que Will e Hannibal tem sobre o caso é bem interessante de ver, os dois indo visitar a cena do crime no “mind palace” deles é bonito de ver, também é interessante ver como eles mudam de lugar com o decorrer da cena, primeiro na cela de Hannibal, então, no antigo escritório dele, depois nas cenas dos crimes, as transições são bem sutis que melhora muito, já que a série tem perdido um pouco a mão nas transições de cena dos episódios passados, esse foi muito bem. Após a reunião dos dois, Alana tenta descobrir o que Hannibal quer fazer com ele, como ele pretende manipular Will novamente, de forma bem calma ela o ameaça com o pior que pdoe fazer a ele ali, retirar sua dignidade. Ela acerta bem o ponto fraco dele, mas duvido que mude algo em seus planos.

Mais um flashback com Abigail mostra como Hannibal a ajudou a passar pelo trauma de ser degolada pelo próprio pai, a fazendo esfaquear o defunto dele. A cena é mais interessante para mostrar o processo de Hannibal para lavar a mente dela, não que necessitasse de tanto.

E então vamos ao foco da temporada, o Dragão Vermelho. Temos um vislumbre de como era a infância dele o que começa a formar uma resposta do porquê de ele caçar famílias que são o exemplo de “família feliz americana”, vemos rapidamente ele na mesa com sua avó e outros idosos. Novamente o vemos assistindo um vídeo e se transformando ainda mais em Dragão.

Voltando a investigação, Will se aprofunda mais no perfil do “tooth fairy”, ele vai novamente a cena do crime e encontra o lugar onde Dolarhyde se sentava para observar a família. E encontra uma marca na arvore que pode ser uma pista e então Freddie Lounds surge para importunar Will novamente, ela quer ajudar a polícia a capturar em troca de informações privilegiadas sobre o caso. E então vemos que a exposição que ela dá a Will no seu jornal acaba fazendo Dolarhyde notar a existência de Will.

Mais um momento importante para o personagem de Dolarhyde acontece nesse episódio, ele conhece Riba, seu “interesse romântico” na história. Por ela ser cega, Dolarhyde parece se sentir mais à vontade agindo perto dela, ele vai a ela para conseguir material para revelar seus filmes gravados durante os assassinatos. Ele acaba dando uma carona a ela e para um primeiro contato ele até vai bem longe, ao chegar na casa dela ficamos na antecipação de que ele pode matá-la a qualquer momento. Tudo segue bem similar aos filmes, e a tensão é muito boa de ver.

De volta a Will, temos o que com certeza é a cena mais chata do episódio, ele conversa com Molly sobre qualquer coisa, a cena é muito bem feita, parecendo que os dois estão no mesmo quarto e tudo mais, só serve para mostrar que Will continua sendo o mesmo e que a afirmação e apoio de Molly o ajudam bastante, porém ele nunca deixará de ser atormentado pelos pesadelos loucos dele. Graças a Jack que o trouxe de volta para o FBI.

E para finalizar temos uma pequena conversa entre Jack e Hannibal, o melhor é o desagrado de Hannibal quando Jack mostra que não foi ele quem manipulou Will a voltar e sim Jack. Existe um ódio palpável entre os dois, e essa talvez seja uma das relações mais interessantes para a série nesse momento. Então temos um último flashback mostrando o momento em que Will alerta Hannibal de que Jack vai prendê-lo, e como Hannibal decide esperar por Will e não fugir imediatamente.

É incrivelmente imbecil que tenham passado a ligação de Dolarhyde para Hannibal dentro do hospital, ele deve ser o detento mais perigoso do hospital todo e mesmo assim não parecia haver ninguém para interceptar a ligação ou impedir que alguém além do verdadeiro advogado de Hannibal falasse com ele. Isso foi algo extremamente furado para a série, a não ser que no próximo episódio apareça Alana ouvindo a ligação eu vou ficar tremendamente desapontada com os roteiristas que até agora não tenham feito nada tão ofensivo a inteligência da audiência quanto isso.

Mas enfim, foi um episódio ok. Na minha opinião o maior problema, além da cena final, é o fato de trazerem novamente Abigail para a história, talvez a série pudesse se desapegar um pouco e parar de se pendurar nesse plot da Abigail, mesmo que seja relevante de certa forma não é interessante mais. É uma história esgotada desde o segundo episódio dessa temporada, e sinceramente, não vejo como ainda pode adicionar algo. Tirando isso, a história parece evoluir bem, e com mais quatro episódios para o fim da série ainda devemos ver bastante coisa acontecer.


...And the Woman Clothed with the Sun (S03E10)

Sinopse:
Entalhes nas cenas dos crimes, que simbolizam o Grande Dragão Vermelho, lançam luz sobre a mente perturbadora do assassino. Enquanto isso, Dolarhyde encontra maneiras de se comunicar com Hannibal, e Will procura os conselhos de Bedelia Du Maurier.


O episódio teve avanços interessantes no plot, ainda explorando a vulnerabilidade de Will em toda essa situação além de trazer Bedelia de volta. Deixa de lado Abigail para se concentrar em outras histórias do passado de Hannibal. Também surgem novas pistas para direcionar Will a Dolarhyde. Foi um episódio melhor que o passado sem duvidas (ainda bem), e abre o caminho no desenvolvimento da trama.

Primeiramente no episódio temos a esperada explicação de o porquê Dolarhyde conseguir se comunicar tão facilmente com Hannibal, ele invade o escritório do verdadeiro advogado dele. Porém ainda acho estranho ele poder ter contato pelo telefone com quem quer que seja, mas relevamos isso em prol de aproveitar melhor toda essa história. É bem interessante como mostram a mesma conversa, mas dessa vez do ponto de vista de Dolarhyde, então tudo se torna uma sessão de terapia para ele. Podia ter passado sem aquele CGI da Red Dragon no fim da cena, mas tirando isso foi uma bela montagem.

Seguindo para Bedelia, vemos como ela está se virando depois da prisão de Hannibal. Ela conseguiu criar um jeito de usar o tempo que passou com Hannibal em seu benefício e dá palestras sobre estar sobre influência dele e tudo mais. Will não finge ter qualquer apreço por ela, e o sarcasmo que ele começa o dialogo é ótimo, mas ela sempre consegue mudar o foco da conversa para a relação de Will e Hannibal, e meio que não entendemos o porquê ele sentiu que deveria ter ido ali falar com ela. 

E então temos o primeiro encontro de Dolarhyde e Reba, ela a leva para tocar num tigre sedado. É bem interessante mostra esse lado dele, que não foi consumido ainda pelo Dragão Vermelho que ele criou, ele tem sentimentos por ela mesmo que sejam um pouco distorcidos, a maneira com que ele observa ela agindo é bem significativa. Achei exagerado o tratamento na cor do pelo do tigre, mas de vez em quando a série exagera mesmo. 

De lá já vamos para a casa dele, um pulo e tanto, Reba não é nem um pouco acanhada. A conversa dos dois se foca nele, e nas impressões que os outros tem dele, e principalmente vemos que ele é muito consciente do lábio leporino e tudo que diz respeito a sua aparência física, coisa que deve ter influenciado quando ele ficou obcecado pela perfeição do Dragão Vermelho, principalmente na física, pela demonstração de poder e tudo mais. E claro, depois que ela elogia a aparência dele, eles não demoram muito e vão para a cama, é notável o qual difícil é para ele se relacionar com alguém a esse nível, de controlar os próprios impulsos e tudo mais. Vale falar também da cena de sexo quase tão estranha quanto a da Alana com Margot, essa foi um pouco malfeita na minha opinião, podia ter tirado bem mais proveito da tatuagem nas costas dele, mas entendo que NBC não é lugar desse tipo de coisa, nem sei como conseguem que não censurem metade da série.

Mas enfim, Reba claramente se torna cada vez mais importante na mente de Dolarhyde, e talvez ela seja uma das poucas coisas que ainda o seguram na beira da sanidade, quando ele pensa que ela está dentro de sua sala “secreta” onde ele adora a imagem do Dragão o terror é forte, fica bem mostrado com ele, o verdadeiro ele, é vítima dessa criatura que criou na sua cabeça.

Chagamos finalmente a Hannibal, e ainda com a possibilidade de usar o telefone sem ninguém por perto, Hannibal “MacGyver” Lecter consegue telefonar para o escritório de Chilton para que mandem uma cópia do livro dele para Will, o porquê disso fica no ar, mas imagino que irão explicar no próximo episódio. Enquanto isso Bedelia e Will conversam um pouco mais sobre Hannibal, ela fala um pouco mais sobre como era sua terapia com Hannibal. 

Então temos um flashback, finalmente conhecemos a história do paciente que ela “matou” com ajuda de Hannibal. Aparentemente, Hannibal queria fazer experiências psicológicas com ele como fez com Will, e de alguma forma conseguiu que ele morresse engasgado aos pés de Bedelia enquanto tentava explicar para ela o que Hannibal tentou fazer com ele. Notamos então um padrão em como Hannibal age, e como ele brinca com a mente de seus pacientes e isso só me faz pensar em como podem ter deixado ele falar no telefone sem nenhuma supervisão. 

E então chegamos ao clímax do episódio, que devo dizer foi muito bom. Hannibal direciona Will para Dolaryde de forma bem sutil, contando sobre os desenhos de William Blake e Will, claro que não antes de Will chegar sozinho ao Dragão Vermelho por causa do desenho que achou na arvore na casa dos Jacobs. Interessante ver que ele dá essa informação como prêmio a Will por ter conseguido seguir as pistas de maneira correta. 

Então vamos com Dolarhyde direto para onde o desenho original de William Blake está exposto, e decide come-lo. Para se tornar o Dragão. Claro, que Will acaba indo no mesmo dia checar o desenho e o encontro dos dois e incrível. Uma das melhores cenas desse arco da temporada. A maneira como ele levanta Will e o joga longe mostra como ele é superior fisicamente, como ele sente o poder do Dragão dentro dele. 

E assim acaba o episódio com um cliffhanger ótimo, que não se via desde o arco passado. Senti uma melhora forte para o episódio passado, a trama se moveu mais, principalmente com esse final. Achei interessante como deram a Hannibal o poder sobre a descoberta de Will, pois ele podia simplesmente descobrir após o roubo do desenho sobre a ligação dos assassinatos com o quadro, fica diferente do livro, porém bem mais dinâmico para a série, além de dar mais poder a Hannibal. Só precisava que ele Alana aparecesse gravando as ligações de Hannibal ou coisa assim pois não posso aceitar isso de ele poder falar ao telefone sem ninguém para vigiar.


Promo do próximo episódio:

Redes Sociais

SNAPCHAT

SNAPCHAT

ANÚNCIO