EstanteComics | Graphic MSP - 'Laços', 'Pavor Espaciar' e 'Bidu: Caminhos'


O Graphic MSP é um projeto da Maurício de Sousa Produções no qual diferentes artistas dão uma nova cara e um novo tom para os personagens criados pelo Maurício. Já foram lançados nove quadrinhos englobando a Turma da Mônica, Penadinho, Chico Bento e até mesmo o Piteco. 

A ideia de fazer novas histórias com uma roupagem nova, diferente daquela vista nas revistas mensais é genial e aproxima aquele público já crescido dos personagens tão adorados durante a infância. Porém, mesmo quem não conhece (se você é uma das pessoas, resolve isso aí!) ou quem não  é fã, vai se encantar com a beleza dessas histórias e dos traços. Nessa edição do EstanteComics, falarei sobre “Turma da Mônica: Laços”, “Chico Bento: Pavor Espaciar” e “Bidu: Caminhos”.


Pelas mãos dos irmãos Vitor Cafaggi e Lu Cafaggi, temos “Laços”. Essa, sem dúvida, é uma das HQs mais lindas que já li. A história acompanha a Turma do Limoeiro em busca do Floquinho, cão de Cebolinha que fugiu. Pode parecer um plot bobo, mas é legal demais acompanhar essa trama digna das revistinhas da Turma da Mônica com um traço belíssimo. 
Com nostalgia de sobra, a HQ pode não ter a trama mais bem bolada da história, mas ela encanta justamente por transportar o leitor para aquele mundo dos quadrinhos com gosto de infância. 


Pavor Espaciar está entre as minhas favoritas até agora. Assinada por Gustavo Duarte, o quadrinho tem uma pegada mais voltada para a comédia. Quase sem diálogos, acompanha as peripécias de Chico Bento e Zé Lelé numa história super fora da casinha.

O traço combina demais com a trama e com os personagens. E o conjunto da obra ficou divertidíssimo. Ironicamente, as revistas do Chico Bento não eram as minhas favoritas. Mas, mesmo assim, a HQ conseguiu me deixar com saudades da época em que eu lia as historinhas. 


Bidu: Caminhos  é, das que eu li, a mais voltada para o drama. Daquelas feitas com intenção de fazer o leitor chorar mesmo.  Ela mostra a trajetória do cão Bidu até encontrar seu inseparável dono, Franjinha. A HQ é de autoria de Eduardo Damasceno e Luis Felipe Garrocho. 
Confesso que essa não é uma das minhas favoritas. Mas, o que foi dito sobre os outros dois quadrinhos também é válido para este.  A história é boa,  tem uma pegada mais emocionante e te traz esses personagens que cresceram com o leitor.

Lucas Zeferino

Redes Sociais

SNAPCHAT

SNAPCHAT

ANÚNCIO