Resenha | A Queda dos Reinos (Livro 1)

Título: A Queda dos Reinos
Título Original:  Falling Kingdoms
Autor(a): Morgan Rhodes
Editora: Seguinte
Ano: 2013
Páginas: 398
Sinopse: Numa terra em que a magia havia sido esquecida e a paz reinara durante séculos, uma agitação perigosa ganha forma quando três reinos começam a lutar pelo poder. Entre traições, negociações e batalhas, quatro jovens terão seus destinos entrelaçados para sempre: Cleo, a filha mais nova do rei de Auranos; Magnus, o primogênito do rei de Limeros; Jonas, um camponês rebelde de Paelsia; e Lucia, uma garota adotada pela família real de Limeros que busca a verdade sobre seu passado. Em A queda dos reinos, Morgan Rhodes constrói uma mitologia complexa e fascinante, que mistura amor proibido, intrigas políticas e profecias milenares. Narrado pelos pontos de vista dos quatro protagonistas, este é o primeiro volume da série.

Com o lançamento do quarto livro da série nos Estados Unidos, A Queda dos Reinos vem gerando um buzz pelos canais literários. Com tantos comentários positivos, fui finalmente convencido a dar uma chance para a obra de Morgan Rhodes. 

Mesmo assim, fui com expectativas baixas e ainda bem que foi desse jeito. O livro me surpreendeu demais. Logo de cara, me vi sugado para aquele mundo e envolvido com a trama e, apesar da confusão básica comum na maioria dos livros de fantasia, a leitura fluiu muito bem. 

A escrita é envolvente e o plot todo é bem planejado. A autora teve em mente que esse é o primeiro livro de uma série e soube medir os elementos nele inclusos. Apresentou com êxito um pouco da mitologia que criou, os personagens e mostrou que sabia aonde queria chegar nesse volume, entregando um final sólido que te deixa satisfeito e, ao mesmo tempo, com vontade de se jogar no segundo livro. 

Aqui acompanhamos quatro pontos de vista.Todos narrados em terceira pessoa. Cada um possui várias camadas e a autora soube trabalhar isso. Entre os quatro, existem vários segredos que deixam a narrativa bem instigante em relação ao que irá acontecer quando tudo isso vir à tona.

De longe, o que mais me surpreendeu foi a “ousadia” da autora. Quando você começa a leitura, pensa “esse plot vai resultar em tal acontecimento”.  Você até tem ideia do que vai acontecer, mas imagina que será algo em um futuro distante. Aí vem Morgan Rhodes e te deixa de queixo aberto. Houve várias situações nas quais isso ocorreu – só no primeiro volume – me deixando curioso para saber o que ela inventará daqui para frente na história.

A Queda dos Reinos é o tipo de leitura para quem procura algo leve, apesar de se tratar de um  livro de fantasia, com bons personagens. Além disso, traz uma trama sem enrolação, sem mimimi e que é capaz de prender o leitor logo nas primeiras páginas. 

Lucas Zeferino

Redes Sociais

SNAPCHAT

SNAPCHAT

ANÚNCIO