Resenha | Outro Dia


Título: Outro Dia
Título Original:  Another Day
Autor(a)David Levithan
Editora:  Galera Record
Ano: 2016
Páginas: 326
Sinopse: Um dos mais inovadores autores de livros jovem adulto e o primeiro a emplacar uma trama gay na lista do New York Times, David Levithan retoma a sua mais emblemática trama em "Outro Dia". Aqui, a já celebrada — com várias resenhas elogiosas — história de "Todo Dia" é mostrada sob o ponto de vista de Rhiannon. A jovem, presa em um relacionamento abusivo, conhece A, por quem se apaixona. Só que A, acorda todo dia em um corpo diferente. Não importa o lugar, o gênero ou a personalidade, A precisa se adaptar ao novo corpo, mesmo que só por um dia. Mas embarcar nessa paixão também traz desafios para Rhiannon. Todos eles mostrados aqui.

Confira a resenha de Todo Dia.


Está mais do que virando costume autores lançarem livros que contam o ponto de vista de um personagem sobre a história de uma obra escrita anteriormente.  Coleen Hoover, Jamie Mcguire já o fizeram e agora foi a vez de David Levithan com Outro Dia.

É inegável o sentimento de que é mais uma forma de conseguir dinheiro, mas  essa foi a minha primeira experiência do tipo e o que li me agradou. Ao mesmo tempo que não é uma obra necessária para quem finaliza a leitura de Todo Dia, deu um panorama muito mais abrangente de Rhiannon com foco no seu relacionamento abusivo, dando a Outro Dia uma vida própria. Por mais apegado que eu seja à história original e a A, durante a leitura ficou claro que essa era a vez da garota.

A teve a mesma presença em Outro Dia que Rhiannon teve em Todo Dia. Foi interessantíssimo ver o que ela estava achando de toda a situação de A, já que no primeiro livro nós queríamos de toda forma que ela o aceitasse e entendesse tudo. Mas aqui nós paramos para ver o lado dela e nos questionamos como seria estar em sua posição numa situação fora da realidade como essa.

Mesma história, mas com vida própria

Sem entrar no mérito de necessidade de um livro que conte a mesma história de outro com um ponto de vista diferente, Outro Dia carrega o selo de qualidade David Levithan.

A escrita do autor continua sendo envolvente e gostosa, perfeita para um livro como esse. Levithan também é bem sucedido ao narrar um livro para adolescentes na voz de uma adolescente. Ainda mais com uma protagonista tão de acordo com a realidade. Até mesmo A, que não se encaixa nessa categoria, tem inseguranças e passa por situações fáceis de se identificar.

Mesmo contando uma história que já foi contada, o autor conseguiu dar a cara de Rhiannon à obra. Ao mesmo tempo que você traça paralelos com Todo Dia, você identifica elementos que fazem com que Outro Dia seja, até certo ponto, independente. Tanto que, alguém poderia muito bem lê-lo sem conhecer o original. Não teria o mesmo apego com a trama e tudo mais, mas o livro funcionaria.


Outro dia não supera a obra que o originou, porém se mostrou uma ótima leitura, rápida e envolvente. Foi ótimo revisitar essa história. Nos momentos em que folheava as páginas eu era sugado para aquela trama e esquecia de todo o resto. Boa pedida para alguém que procure um contemporâneo, divertido e com personagens bem elaborados.

Lucas Zeferino

Redes Sociais

SNAPCHAT

SNAPCHAT

ANÚNCIO