Crítica | Shadowhunters - 1ª Temporada


Shadowhunters não peca na adaptação, como se esperava, mas sim na produção


Muito hype foi criado em volta de Shadowhunters desde  o início da produção. Muitos tinham receio em relação ao canal que tocaria o projeto: ABC Family, que mudou de nome e agora é Freeform. Infelizmente, parte desse receio todo se concretizou.

Não é preciso nem entrar em mérito de adaptação para dizer que a série não é das melhores. Os efeitos são simples, mas isso é o mais fácil de superar. Mas algumas atuações deixam muito a desejar. Houve uma evolução ao longo da temporada, mas mesmo assim. Algumas cenas eram forçadas demais e não passavam credibilidade nenhuma.

O que influenciou muito nisso foi o roteiro com diálogos fraquíssimos e fora da realidade. Ninguém fala daquele jeito, com expressões que estavam ali só para deixar a cena “mais engraçada”. Foi um fail em dose dupla, pois não se pode falar que a série teve boas tiradas.

Como falei, houve uma melhora ao longo dos episódios. Até pelo fato de os atores pegarem familiaridade com os papéis e tudo mais. Mas, mesmo nos últimos episódios, ainda pudemos ver muitos desses defeitos.

Confira as nossas resenhas dos livros da série


Como adaptação, a série se distancia um pouco dos livros. O que mais diverge da obra original é a antecipação de alguns fatos. E eu não vejo isso como um fato negativo. Muito pelo contrário. A série tem um ritmo bom e fluido devido a essas mudanças. Ainda mais com o fato de que eles não inventaram muito. Tudo que foi inserido já na primeira temporada consta nos livros e fez sentido.

As mudanças não chegam a ser tão agravantes como são em The 100, onde os livros serviram somente como base. Vemos só os mesmos personagens e a trama principal, de resto, a série seguiu seu próprio rumo. O que também foi um acerto.


Em suma, Shadowhunters consegue ser divertida, ainda mais quando já se é fã da história. Mas existem sim, episódios mais fracos (como o próprio finale, que foi bem morno em relação a outros) e a produção que peca.  

Mesmo não sendo perfeita, a série ainda tem potencial para continuar com um bom ritmo. Os livros têm elementos que podem ser passados para a TV de forma a funcionar nessa outra mídia. Resta melhorar os diálogos e as cenas forçadas. 

Lucas Zeferino

Redes Sociais

SNAPCHAT

SNAPCHAT

ANÚNCIO