Resenha | O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares


Título: O Orfanato da Senhorita Peregrine para Crianças Peculiares
Título Original:  Miss Peregrine Home For Peculiar Children
Autor(a): Ransom Riggs
Editora:  Leya
Ano: 2012
Páginas: 336
Sinopse: Tudo está à espera para ser descoberto em O orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares, um romance inesquecível que mistura ficção e fotografia em uma experiência de leitura emocionante. Nossa história começa com uma horrível tragédia familiar que lança Jacob, um rapaz de 16 anos, em uma jornada até uma ilha remota na costa do País de Gales, onde descobre as ruínas do Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares. Enquanto Jacob explora os quartos e corredores abandonados, fica claro que as crianças do orfanato são muito mais do que simplesmente peculiares. Elas podem ter sido perigosas e confinadas na ilha deserta por um bom motivo. E, de algum modo, por mais impossível que pareça, ainda podem estar vivas. Uma fantasia arrepiante, ilustrada com assombrosas fotografias de época, O orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares vai deliciar adultos, adolescentes e qualquer um que goste de aventuras sombrias.

O Orfanato da Srta. Peregrine para crianças peculiares é uma obra que deve ser lida sem preconceitos. Antes mesmo de começar, um amigo não me deu boas recomendações sobre o título e a minha leitura foi receosa. Esperava a todo o momento alguma coisa ruim que fosse confirmar o que ele já tinha me dito. Mas não.

Ransom Riggs tem um jeito gostoso de escrever, desses que a gente senta no sofá só pra ler um capítulo e quando viu já se passaram mais de 100 páginas. Foi o que aconteceu comigo, na verdade. A obra conta a história de Jacob, um adolescente de 16 anos que cresceu fascinado ouvindo as histórias de seu avô sobre sua vida na Europa. Filho de Abe, o pai do garoto – Franklin – nunca levou muito a sério as histórias do pai e acreditava que tudo não passava de uma grande mentira, um jeito de entreter o neto.

Quando Abe - avô do garoto - morre, e ele descobre algumas lembranças e fotografias da vida do ex-soldado, Jacob começa a questionar sobre a vida que o homem realmente levou no País de Gale, sobretudo as histórias das crianças que cresceram com ele no Orfanato. Decidido a descobrir a verdade e finalmente aceitar a morte de Abe, o garoto viaja com o pai para a ilha a fim de descobrir a verdade sobre as histórias que ele cresceu ouvindo.

As crianças peculiares, nada mais são, do que, naturalmente, peculiares. Elas têm características diferentes do que consideramos normais. A vida que levam na ilha, entretanto, é bem diferente da que Jacob tem, levando em consideração a época que vivem.

O desenrolar dos fatos acontece nos momentos certos. Em nenhuma parte da leitura achei que ela estava indo lenta ou rápida demais. A única coisa que senti falta foi uma pegada diferente nas cenas de ação. Acho que a obra teria ficado ainda melhor se isso tivesse acontecido. De qualquer modo, não interfere no desfecho dos acontecimentos, tão pouco decepcionou na avaliação da obra como um todo.


Entre a leitura, existe a presença de fotografias reais da época, ilustrando os personagens e os lugares na Ilha. Isso - ao meu ver - deixou toda a obra mais sensacional. Traz verdade, realidade, e ajuda a entender e imaginar todas as crianças do Orfanato. 




Milena Coutinho

Redes Sociais

SNAPCHAT

SNAPCHAT

ANÚNCIO