Resenha | Temporada dos Ossos (Bone Season #1)

Título: Temporada dos Ossos
Título Original:  The Bone Season
Autor(a): Samantha Shannon
Editora:  Rocco
Ano: 2016
Páginas: 448
Sinopse: Distopia com uma pegada sobrenatural são os ingredientes da série Bone Season, de Samantha Shannon, que chega ao Brasil pelo selo Fantástica Rocco. Ambientada em 2059, a trama acompanha a protagonista Paige Mahoney, uma andarilha onírica, alguém capaz de entrar na mente das pessoas e captar pensamentos e fragmentos de sonhos. Considerada traidora pelo governo, Paige paga por seu dom com a sua liberdade e é enviada para uma prisão secreta em Oxford. Lá, ela conhece os Rephaim, criaturas de uma raça antiga que desejam controlar a clarividência de Paige e de outros como ela, e precisará aprender a confiar em aliados improváveis não só para reconquistar a liberdade, mas garantir a própria sobrevivência. Considerada um dos principais nomes da literatura de fantasia dos últimos tempos, Samantha Shannon entrega aos leitores um romance surpreendente e arrebatador.


Recomendações de autores renomados em capas de livros e também as famosas comparações com obras queridas pelo público podem atiçar a curiosidade do leitor e também deixá-lo com um pé atrás. Em qualquer um dos casos, isso pode influenciar a leitura e acabar estragando a experiência. Como já dizia o clichê: “Expectativa is a bitch”.

Na contracapa de Temporada dos Ossos encontra-se a seguinte frase: “A nova J.K. Rowling”, do The Sunday Times. Fiquei receoso com isso? Sim. E o fantasma da expectativa me assombrou mais uma vez. Nesse caso, o hype já vinha de antes disso, mas a comparação contribuiu um pouquinho.

Estava esperando uma obra que fosse me arrebatar e me sugar para aquele universo como poucos livros fazem. Não tiro o mérito da autora. Claro que não. A leitura foi proveitosa e me diverti em alguns momentos. Mas, por mais divertidas que fossem certas passagens, eu não entendia muito bem o propósito de tudo aquilo. Eu lia, lia, lia, mas esperava por algo que fosse me surpreender e fazer o caminho até ali valer a pena. E não encontrei isso.  

O mundo criado pela autora é interessante, sim, bem fundamentado. Inclusive, o início da leitura é até um pouco complicado justamente por causa disso. Você demora a se situar e a entender bem tudo que está acontecendo.

O livro inicia uma série de sete volumes, que está em andamento lá fora. Não vou dizer que não tenho vontade de continuar a leitura. Irei ler, sim, o segundo livro. Mas eu esperava algo que fosse me fazer estar louco para continuar.


A obra não funcionou muito bem para mim, mas foi, basicamente por causa de toda a expectativa criada. O livro tem, sim, uma mitologia bem fundada e potencial para uma série. Você vê que a autora tem elementos a explorar. 

Lucas Zeferino

Redes Sociais

SNAPCHAT

SNAPCHAT

ANÚNCIO